Domingo, 26 de Outubro de 2008

A reconstrução continua

É com muito agrado que vamos recebendo notícias da reconstrução ou reabilitação de equipamentos um pouco por toda a Angola. Realçamos hoje a igreja do Quitexe que nos aparece de cara e corpo lavado, eu diria quase irreconhecível.  Anos 70

 2005      2008 (foto pescada do blogue - Luis Fernando Jornalista)

 

 

 

A Missão dos Capuchinhos e a Igreja do Quitexe 
( Do livro Quitexe 61 - Uma Tragédia Anunciada - João Nogueira Garcia) 
 
            A Missão dos Capuchinhos Italianos, em Camabatela, terá sido fundada no ano de 1947/48 como sede da Diocese de Ambaca da qual o Quitexe fazia parte. Essa data corresponde à minha chegada a Angola e, um ano depois, ao Quitexe. Num largo planalto junto à povoação de Camabatela, sede do concelho de Ambaca, foram por eles construídos enormes pavilhões e áreas residenciais, onde viviam dedicando o dia à oração, ao ensino do português, das artes e dos ofícios.
 
            Tanto as missões católicas, como as protestantes eram apenas toleradas pela Administração, servindo de contraponto à dureza da Administração Colonial Portuguesa em relação, principalmente, aos jovens africanos. O confronto era permanente entre os estudos na missão e o arregimentar à força para a escolha do café nas roças, na altura da colheita.
 
             Só por volta do ano de 1951/52, eles vêm tentar a sua implantação no Quitexe onde predominam as igrejas protestantes inglesas e americanas. Aos poucos vão criando pequenos núcleos, onde vão instalando os seus catequistas africanos.
 
            Nessa altura, a minha casa é uma espécie de abrigo, onde os viandantes aportam para mata-bicharem (pequeno almoço de garfo) ou almoçarem, situação que vou tolerando tendo em conta que não há pensão no Quitexe. Comem e bebem de borla mas, quando por vezes vou a Luanda, esses comensais passam por mim e não me conhecem. Quando casei, em 1951, resolvi, por uma questão de intimidade, acabar com este apoio, exceptuando, claro, os fazendeiros e outras pessoas amigas que tinha muito prazer em receber. Entre eles havia dois padres italianos dos Capuchinhos que todas as semanas vinham um dia ao Quitexe, em serviço missionário. Cá mata-bichavam e almoçavam.
 
             Os anos correm e, entretanto a população branca aumenta e em cada branco era suposto estar um católico. Tendo em conta que o Quitexe se desenvolvia cada vez mais resolvem, para intensificar a acção missionária, construir uma igreja. Lá andam de comerciante em comerciante e de fazenda em fazenda, angariando fundos para ajudar a construção. Eu, como tinha a cerâmica sou abordado para arranjar o tijolo “Eu não sei se vos posso fornecer o tijolo todo de borla, pois o que pretendeis fazer é uma igreja muito grande, mas depois se verá...” .
           
            Nesse tempo já nada me ligava à igreja católica, mas apreciava a acção evangélica dos missionários, fossem eles católicos ou protestantes. Do catolicismo eu apenas conservava os valores dos princípios morais do cristianismo. A igreja lá se construiu num alto sobranceiro à povoação logo a seguir à minha casa comercial.
 
             Entretanto, os dois capuchinhos começaram a ser solicitados pela nossa vizinha Dª. Helena para também irem comer a sua casa. Como era uma senhora muito católica, eles sentiam-se mais à vontade e, agora raramente apareciam para comer, mas passavam sempre para nos cumprimentar.
 
             A igreja foi inaugurada com pompa e circunstância. Mais tarde, os padres apareceram para pagar parte do tijolo, pois reconheciam que, efectivamente foi uma quantidade muito grande. Eu já tinha decidido oferecer o tijolo todo. Ficaram muito gratos.      
            Apenas lamentava que os capuchinhos fossem todos italianos. Por onde andavam os missionários portugueses? Talvez em Itália, no Vaticano?

 

 

 

 

publicado por Quimbanze às 18:39

link do post | comentar | favorito
|
1 comentário:
De Renato Pereira a 13 de Janeiro de 2009 às 11:54
Os padres capuchinhos e as freiras - Carmona- Uige foram quem me ensinaram as primeiras letras e não só...

Comentar post

.OUTRAS PÁGINAS

.posts recentes

. Batalhão de Caçadores 3 e...

. Município de Quitexe nece...

. O Nosso Bondoso Director

. Associação da União dos N...

. Governador do Uíge emposs...

. Plano Urbanístico do Quit...

. Fotografias do Quitexe - ...

. 15 de Março - "Perderam-n...

. Comentário de Victor Roma...

. Quitexe: Aumenta índice d...

.FOTOS

.MAIS FOTOS

.arquivos

. Junho 2017

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Novembro 2014

. Março 2014

. Janeiro 2014

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Janeiro 2013

. Setembro 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

.mais sobre mim

.Junho 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.pesquisar

 

.VISITAS

.ONDE ESTÃO

.No Mundo

.subscrever feeds